ESPERANÇA, DO VERBO ESPERANÇAR

Ensinava nosso saudoso mestre Paulo Freire (1921-1997) o Patrono da Educação Brasileira, que a esperança não vem do verbo esperar, mas do verbo esperançar, que significa animar-se. Recentemente, na segunda quinzena do mês de setembro, celebramos os 97 anos de seu nascimento e também os 50 anos do sua obra “Pedagogia do Oprimido “.

O IPF – Instituto Paulo Freire  – http://www.paulofreire.org/   – ofereceu um curso virtual EaD sobre a obra acima referida. Foram nove aulas, as quais eu assisti. Sempre admirei muito as ideias e os ideais de Paulo Freire. Talvez um dia eu escreva sobre isso aqui neste blog .

O inseto verde que escolhi para ilustrar este post, se parece com um grilo e chama-se Esperança. No dia 21 de setembro, no jornal FSP, pág. B5,  noticiou-se que vários exemplares desse inseto só foram salvos do incêndio que destruiu o nosso Museu Nacional do Brasil, no estado do Rio de Janeiro, no dia 2 de setembro p.passado, porque estavam sob empréstimo na UEPA – Universidade do Estado do Pará.

Mas, hoje quero lembrar a todos que se comemora o Dia Internacional do Idoso. Essa data foi instituída pela ONU – Organização das Nações Unidas, para sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento e proteção aos idosos. Aqui no Brasil, também festejamos hoje 15 anos da promulgação pelo Sr. ex-Presidente da República do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, do Estatuto do Idoso – Lei federal n. 10.741, de 1º de outubro de 2003.

Se você, caro (a) leitor (a) quiser conhecer essa lei no texto integral e atualizado, dê um clique no link abaixo:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2003/L10.741.htm

Tenho vivido, como muitos brasileiros (as), muito aflita com nossa vida política. Como profissional do Direito que fui, sinto-me desolada com as atitudes arbitrárias cometidas por parcela expressiva de integrantes do Poder Judiciário, Ministério Público e Polícia Federal – o denominado Partido da Justiça. Um horror!

Todavia, mantenho a esperança de que defenderemos o Estado democrático de direito, um princípio fundamental da república brasileira, escrito no artigo 1º da Constituição Federal.

Todos que me conhecem sabem que, desde meus verdes anos, coloco-me no campo político da esquerda e  tenho verdadeiro pavor daqueles que minimizam os horrores cometidos por agentes públicos, naqueles “anos de chumbo” que sofremos durante a ditadura do regime empresarial-militar, nos 21 anos compreendidos entre 1964-1985.

Por tudo isso, estou fazendo um pequeno esforço para escrever este texto hoje, apesar de minha saúde andar capengando. Estou relativamente bem, mas sempre digo aos amigos (as): “Por fora, bela viola. Por dentro pão bolorento.”  Ou como disse-me um amigo: estamos sempre em fase de acabamento…rsrs

Quero aqui declarar meu voto, mais uma vez, no Partido dos Trabalhadores. Para presidente votarei em Fernando Haddad e em sua vice Manuela D’Ávila, que pertence ao PC do B. Admiro muitíssimo a ambos. O Brasil os merece. Oxalá o povo brasileiro compreenda e tenha consciência da gravidade deste momento político, e vote defendendo seus direitos e a democracia.

Autoritarismo nunca mais!

Inês do Amaral Buschel, em 1º de outubro de 2018.

LULA LIVRE! LULA INOCENTE!

 

Anúncios