VOU VIVENDO

Senta que lá vem estória. Havia prometido a mim mesma, que não escreveria mais sobre a novela em que se transformou a minha vida. Porém, mudei de ideia. Aqui, caro (a) leitor (a), segue mais um capítulo…rsrs

Há pouco mais de um ano, venho submetendo-me ao tratamento imunoterápico com aplicações quinzenais do medicamento Nivolumabe/Opdivo. A finalidade é combater os melanomas metastáticos, notadamente, os dois nódulos que tenho no fígado. Os efeitos colaterais desse remédio são bastante diferentes da quimioterapia tradicional. Por exemplo, os cabelos não caem, mas a fadiga provocada é a mesma, provoca coceiras no corpo, diminuição da saliva etc. Mas, vou vivendo bem. Todavia, faltam-me forças e até inspiração para escrever, regularmente, neste meu blog. 

Em meados do mês de junho p.passado, caro (a) leitor (a) recebi uma má notícia que também me abalou muito. Minha querida amiga gaúcha, a Desirée, havia falecido. Fiquei triste demais. Como eu, ela também fora vítima de um raro melanoma de coroide. Após cinco anos da enucleação do globo ocular, surgiram várias metástases em seu corpo. Enfrentou o tratamento médico bravamente e com o bom humor que tinha. Tocava piano belissimamente. Amava a música. Deixou  boas lembranças e muita saudade.

Mas, como sabemos todos, a vida continua. Temos de respirar fundo e prosseguir no nosso caminho. É o que tenho feito. Pois bem, esse medicamento que estou tomando, por exemplo, não funcionou no organismo da Desirée, mas para mim surtiu o efeito de estancar o crescimento dos nódulos malignos.  Para alguns felizardos ele provoca o sumiço total dos nódulos.

Passados oito meses dessas aplicações, os médicos do Hospital A.C. Camargo, – onde faço meu tratamento – com certo receio de que os nódulos viessem a romper a barreira imposta pelo medicamento, decidiram propor-me um procedimento cirúrgico que tem dado bons resultados: a embolização deles.

Por intermédio de cateterismo, com a introdução de micro partículas no vaso sanguíneo que alimenta o nódulo, provocam sua necrose. Mais ou menos isso.  Concordei com a proposta e lá fui eu para o departamento de Radiologia Intervencionista, e fiquei sob os cuidados do Dr. João Paulo Kawaoka Matushita Junior e sua equipe.

No dia 13 de abril deste ano, fiz a embolização de um nódulo maior de 43 x 25 mm, e tudo correu muito bem. Não senti dores após o procedimento cirúrgico e recebi alta médica rapidamente. Depois de quarenta e cinco dias fiz um exame de ressonância magnética que registrou a necrose. Ficamos contentes, eu e os médicos.

No dia 16 de agosto, novamente, fiz outra embolização. Desta vez no nódulo menor, de 15 x 13 mm e de difícil localização. O pós-operatório foi dramático, com dores e vômitos. Passou. Recebi alta médica no dia 19. No final do mês de setembro farei outra ressonância magnética para saber o resultado. Oxalá tenha dado certo. Estarei livre dos dois nódulos visíveis que me atormentavam, mas continuarei a fazer as aplicações de Nivolumabe até completar dois anos, ou seja, até o mês de julho de 2018.

Tenho consciência de que nada impede que outros nódulos estejam se formando, ou mesmo que dentro de algum tempo esses nódulos necrosados ressuscitem. É preciso ter nervos de aço.  

Há um tempo atrás, fiz uma psicoterapia breve que me ajudou bastante a enfrentar a enucleação do globo ocular e o câncer. A psicóloga, nessa ocasião, disse-me que eu era uma pessoa resiliente. Ela quis dizer com isso, caro (a) leitor (a), que eu conseguia me sair razoavelmente bem das situações difíceis que sofria na vida. Oxalá assim seja. Acumulo cicatrizes, mudei minha visão de mundo, mas toco em frente. Se, por acaso, você não sabe e deseja saber o que significa a palavra resiliência, bastará clicar no link abaixo:

https://www.significadosbr.com.br/resiliencia

Decidi escrever este desabafo, não só para compartilhar minha dor e o que aprendi sobre a imunoterapia, mas também com a esperança de conseguir desobstruir minha veia de escriba…rsrs

A vida e a luta continuam. No campo pessoal e na política nacional há muita turbulência. O atual governo federal brasileiro – ilegítimo, é bom que se diga – tenta destruir o SUS – Sistema Único de Saúde e tantas outras conquistas sociais. É horrível, a meu ver, o que anda acontecendo no Brasil. Além de perplexa, meu sentimento é de desolação. Nessas horas, recordo-me do mestre Ariano Suassuna (1927-2014) que se dizia um realista esperançoso. Tento inspirar-me nele, mas está difícil.

Entretanto, continuo indo ao cinema para assistir a belos filmes nacionais tais como o ” Bingo – o rei das manhãs ” e ” Como nossos pais“, lendo bastante, ouvindo boas músicas,  convivendo com amigos (as) e familiares e, claro, curtindo minha neta Violeta que está com 1 ano e um mês e nos traz muitas alegrias. Logo mais chegará um irmãozinho dela. Estamos ansiosos.

Para finalizar, recomendo a você caro (a) leitor (a) ouvir o belo samba ” Volta por cima “, uma composição do mestre paulista Paulo Vanzolini (https://pt.wikipedia.org/wiki/Paulo_Vanzolini) , na linda interpretação de nossa grande cantora carioca Beth Carvalho:

 

 

 Inês do Amaral Buschel, em 9 de setembro de 2017

 

Anúncios