A MALDADE HUMANA  É REAL E CONCRETA

Porém, a bondade humana além de também ser real e concreta, tem maior dimensão, felizmente. Passe a observar ao seu redor, e verás gestos de gentileza e benevolência praticados por anônimos.

Escrevo este texto, caro(a) leitor(a) movida pela notícia da atrocidade cometida por dois homens adultos, contra um jovem de 17 anos com sofrimento mental e usuário de drogas. Porque acharam que o jovem tentava furtar um bicicleta avariada, levaram-no para um quartinho, amarraram seus pés e braços, e daí tatuaram em sua testa as palavras ” eu sou ladrão e vacilão“.

E ainda o ameaçaram, caso ele fosse contar os fatos para a polícia. Esse crime ocorreu no dia 31 de maio deste ano, na cidade de São Bernardo do Campo, estado de São Paulo. Para saber mais detalhes, clique no link abaixo:

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/06/1892097-jovem-que-teve-ladrao-tatuado-no-rosto-e-encontrado-pela-familia-em-sp.shtml

Trata-se de crime de tortura, nos termos da Lei 9.455/97 : Art. 1º Constitui crime de tortura: inciso I […] inciso II: – submeter alguém, sob sua guarda, poder ou autoridade, com emprego de violência ou grave ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental, como forma de aplicar castigo pessoal ou medida de caráter preventivo. A pena é de reclusão, de dois a oito anos. Para ler o texto integral dessa lei bastará clicar no link abaixo:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9455.htm

ATUALIZANDO: nota do jornal FSP de hoje, 24/6/2017  nos informa que a Promotoria Criminal de SBC/SP descartou a tipificação do crime de tortura nesse caso, e achou mais correto denunciar os autores pelos crimes de lesão corporal gravíssima, constrangimento ilegal e ameaça.

Entretanto, para nossa alegria, há muitos seres humanos altruístas neste mundo. Um participante do movimento comunitário denominado coletivo Afroguerrilha, conhece o garoto e sua família muito pobre, e decidiu criar uma “vakinha” para arrecadar R$.15.000,00 para, não só pagar um profissional para remover a tatuagem, mas também ajudar a família a cuidar do rapaz.

Conseguiram arrecadar o valor acima do necessário em pouquíssimo tempo. E já receberam recado de uma clínica na cidade, oferecendo o tratamento gratuitamente. Até mesmo a Prefeitura de SBC se comprometeu a cuidar do caso da remoção da tatuagem, em parceria com a Faculdade de Medicina do ABC. Vejam que a bondade dá suas caras. Oxalá consigam êxito no tratamento do garoto.

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2017/06/11/coletivo-cria-vaquinha-para-apagar-tatuagem-da-testa-de-adolescente.htm

Mas não quero falar aqui desse crime em si, mas da maldade que move muitos seres humanos, que são incapazes de reconhecer num outro ser humano um seu semelhante. E tratam aos outros como se objetos fossem. Ás vezes, pode ser que essa pessoa má sofra de algum distúrbio psíquico tais como sociopatia ou psicopatia. Mas nem sempre é disso que se trata. São apenas emoções destrutivas incontroladas, tais como a raiva e o ódio.

Vi e li nas redes sociais mensagens odientas contra aqueles que se dispuseram a ajudar a vítima. Os egoístas detestam os altruístas. Os seres humanos egoístas não conseguem colocar-se no lugar do outro e, minimamente, perceber o que esse outro está sentindo. Não há empatia e sequer compaixão. Notadamente, se a vítima é um jovem infrator. Não creem em transtornos psíquicos, julgam moralmente a pessoa.

Nosso senso de justiça está evaporando. Há milhares de homicídios no Brasil a cada ano, no campo ou na cidade, como se vivêssemos numa guerra civil. Mata-se com faca, arma de fogo, linchamentos etc. Há muita indiferença frente aos mais pobres. Quando se criam políticas públicas voltadas a atender esse público dos “sem nada”, há uma revolta das pessoas bem de vida. Não consigo entender isso! Somos um país injusto. E a desigualdade social entre nós é vergonhosa.

Se todos nós, os brasileiros, tivéssemos o mínimo de condições materiais para viver condignamente, tais como moradia, trabalho, alimentação, assistência médica e educação públicas de boa qualidade, nos transformaríamos num país mais pacífico e solidário. Seria bom para todos, porque certamente a violência diminuiria. Observe que tudo isso são direitos humanos, que tem sido negados á maioria do povo brasileiro.

Há condições de alcançarmos a paz social. Mas a política governamental terá de mudar. O Estado não poderá ser mínimo, tem de ter o tamanho necessário para ser o impulsionador da economia e executor da distribuição de renda justa entre os cidadãos. Os ricos brasileiros precisam aprender a não ser egoístas e acumuladores. Temos bons exemplos de pessoas ricas que contribuem muito para melhorar o Brasil, mas infelizmente são poucas. O egoísmo impera.

E penso que muito contribuiria para a melhoria de vida de nós todos, se as escolas, as igrejas, os clubes, os coletivos, os meios de comunicação de massa, passassem a ensinar o valor do altruísmo. Dando exemplos e demonstrando que não se trata de fazer sacrifícios pelos outros.

Basta que você, estando em condições de ajudar alguém que necessite dessa ajuda, não se negue a fazê-lo. É fazer o bem sem olhar a quem. É reconhecer a dignidade de cada ser humano. Somos um entre bilhões.

https://blogdaines.wordpress.com/2015/07/18/altruismo-qual-e-o-significado-dessa-palavra/

Como podemos ver, frente a banalidade do mal (Arendt) há a banalidade do bem (Ricard). Há muita gente boa neste mundo. Nós precisamos prestar mais atenção a esse maravilhoso fato social, caso contrário a mídia nos convencerá de que só existe a maldade e nos imporá o medo.

Para finalizar, gostaria de trazer um pouco de alegria a você caro(a) leitor(a), recomendando-lhe que ouça a belíssima canção intitulada “Juízo Final “, de autoria de Nelson Cavaquinho em parceria com Élcio Soares, na bela voz do nosso grande artista Luiz Melodia:

 

DIRETAS JÁ!

Inês do Amaral Buschel, em 13 de junho de 2017.

 

Anúncios