DESINQUIETA

Ando sentindo-me desinquieta. Tal qual sempre dizia minha avó Mariquinhas, mãe de minha mãe. Ela dizia “estou com uma desinquieteza!” E todos nós a entendíamos. Sabíamos que ela estava desassossegada. Eu achava essa palavra – que só ela usava – bem normal. Até ir para a escola primária. Já alfabetizada, achava graça dessa expressão usada pela minha avó. Eu havia aprendido que o correto era dizer inquieta, e não desinquieta. Que essa palavra não existia.

Ora, ora, como não existia? Existia e ainda existe até hoje. Só mais tarde descobri. E nem foi inventada pelo nosso grande escritor Guimarães Rosa que gostava de criar palavras. Caso você caro(a) leitor(a) esteja duvidando do que estou lhe dizendo, posso te afirmar que a palavra desinquieto consta do Grande Dicionário da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado, Publicações Alfa, Lisboa, 1991. Seu significado é ” adj (de desinquietar) O m.q. inquieto (com pref. de reforço); desassossegado, travesso. Obs. Sobre o valor do prefixo des-, veja o que se escreveu na obs de desinfeliz.”

E sabes o que consta em desinfeliz? O seguinte: ” adj 2 gén. O m. q. infeliz. Obs: Trata-se de forma popular, onde o prefixo des- tem valor intensivo, pelo que este vocábulo significará propriamente: “muito infeliz”. Vj. desinquieto.

E, se você caro(a) leitor(a) for ao Dicionário Houaiss da língua portuguesa, Editora Objetiva, Rio de Janeiro, 2001, encontrará o verbo desinquietar: ” 1. t.d. e pron. tirar ou perder a quietude, a tranqüilidade de; agitar (-se), desassossegar (-se), inquietar (-se) (a aproximação de uma onça desinquietava a boiada) (as águas da lagoa desinquietavam-se) 2. t.d. causar incômodo ou estorvo a; importunar, inquietar, perturbar. 3. t.d. obs. desencaminhar, perverter. Etim des + inquietar, ver quiet-; […] desinquieto (adj.) “

pensador3Estou me sentindo muito inquieta. Demasiado. Compreende-me agora, caro(a) leitor(a)? Tive um melanoma diagnosticado em 2005 e por isso faço exames periódicos. Na última tomografia feita neste mês de abril, após dez anos, detectaram um nódulo no fígado. Gelei ao saber! Claro que pode não ser algo grave, mas também pode ser uma metástase tardia. Para esclarecimento do caso, submeti-me a uma ressonância magnética há poucos dias. Tenho de aguardar o resultado. Estou desinquieta.

Neste período do mês de abril já deveríamos ter um clima ameno de outono, todavia os dias foram muito quentes. Apenas a partir de ontem caiu a temperatura. O clima, definitivamente, alterou-se no mundo todo com o aquecimento global. Que será de nós? Por um lado, imensos territórios castigados com secas ingratas e, por outro lado, imensas enchentes devastadoras. Estamos todos preocupados com o futuro. E desinquietos. Muitas pessoas sofrendo com as conseqüências desses desastres climáticos.

Para distrair-me assisto a filmes, ouço música, leio livros, converso com amigos (as). E também como doces, pois ninguém é de ferro! Tento, de mil maneiras, ser feliz na vida cotidiana. Mas às vezes é difícil demais da conta.

Já desisti de ouvir rádio e assistir a TV porque o viés partidário de direita de quase todas as emissoras – com raríssimas exceções – deste Brasil me irrita. Gostava muito de ler jornais e já não consigo fazê-lo. São partidarizados também. E toda mídia hegemônica só nos traz más notícias. Em regra, especializaram-se em espalhar o terror. E se utilizam da espiral do silêncio para nos calar.Ira

Os donos de empresas jornalísticas, e as empresas concessionárias de radiodifusão sonora, e de sons e imagens (TV) censuram as notícias. Só publicam o que lhes é conveniente publicar. Neste momento de conflitos políticos-partidários, como regra são antipetistas. Estão se “lixando” para o interesse público. Embora a radiodifusão sonora, e de sons e imagens, constitucionalmente, seja considerada um serviço público que depende de outorga do Poder Executivo, essas concessões tornaram-se eternas “propriedades” com a devida conivência do Poder Legislativo.

E não adianta o povo reclamar, pois esses empresários midiáticos quando não se defendem alegando que estão lhes impondo censura, afirmam que são absolutamente imparciais. Cínicos assim.

Estou desinquieta. Como todos sabem, sou eleitora do Partido dos Trabalhadores. E ninguém tem nada a ver com isso. Eu escolhi. É um direito constitucional que tenho e exerço. Mas, está difícil ser simpatizante do PT nestes últimos tempos. Há ameaças e até mesmo agressões físicas e morais. Parece que muitas pessoas esqueceram o que significa o regime democrático e a liberdade de expressão.

images (13)Os antipetistas enlouqueceram de vez na sua absoluta intransigência, notadamente na minha terra paulista. E como pertenço à classe média e também faço parte da comunidade jurídica, vivo num ambiente predominantemente antipetista. E eles estão se tornando – ou sempre foram? – fascistas. Querem impor sua ideologia a todos.

E piorei muitíssimo, após assistir, no último dia 17 de abril, ao deplorável espetáculo de mau gosto proporcionado pelos parlamentares que compõem a Câmara Federal, ao votar pela admissibilidade do processo de impedimento da Presidência da República. Um show de horrores.

mapaparlamento

Um parlamento que se corrompeu por intermédio do financiamento privado/empresarial de campanhas políticas. São centenas de ruralistas – os coronéis Tatuíras, personagem de Monteiro Lobato – , empresários, pastores religiosos machistas que comandam o destino deste país. Poucos são aqueles que, de fato, representam os trabalhadores da terra e das cidades. E os indígenas. E, todavia, foram eleitos. Isso me entristece.

literartesEstou desinquieta. E não adianta disfarçar. Tento parar de pensar e fazer meditação. Muitas vezes consigo. Mas a quietude dura pouco. Logo estou desinquieta outra vez. Penso que talvez escrevendo, me sinta melhor. De fato, enquanto escrevo distraio-me. Porém, ao reler o texto escrito para corrigir erros, conscientizo-me da minha angústia. E sinto-me desinquieta só em pensar em qual será o futuro da nação brasileira.

O que será do povo pobre do Brasil? Dos milhões de desempregados, dos aposentados, dos milhões de sem terra, sem teto, sem estudo, sem informação, dos sem esperanças? O governo petista cometeu erros, todavia implementou um governo de inclusão social, com políticas públicas que promoveram a inserção social de milhões de brasileiros. Aos trancos e barrancos, houve respeito aos direitos humanos básicos de todos, sem preconceitos ou discriminações. O sonho da democracia acabou?chaplin (2)

E assim vou eu pensando no futuro em que minha neta, que virá ao mundo no próximo mês de julho, viverá. Queria que ela vivesse num país bonito e justo, igualitário e com o povo feliz, mas qual o quê ! Nem o túnel estou vendo à frente, quanto mais a luz no final dele… Desinquieto-me.

O golpe de Estado branco, parlamentar, que está sendo executado em meu país, movido por cidadãos (ãs) que sentem ódio à democracia social e preferem um Estado mínimo (só para os ricos empresários), nos será imposto goela abaixo e com violência policial contra os resistentes. E pensar que fazem isso usando, ardilosamente, as regras jurídicas interpretadas a sua maneira. O Direito ao avesso.

Me dá uma tristeza danada tudo isso. Não chega uma notícia boa de canto algum. Hoje, a soledade está me pesando bastante. Mas, quem sabe amanhã será um lindo dia, não é mesmo caro(a) leitor(a)? Sonhar é preciso.

Para aliviar a tensão, recomendo ouvir uma plangente “Toada Brasileira “, título da linda música composta por Paulo C. Pinheiro e Ivor Lancelotti, na bonita voz de Inaê Moreira e belo acompanhamento. Bastará clicar no link abaixo:

 

A música para mim é como bálsamo.

Inês do Amaral Buschel, em 29 de abril de 2016

 

Anúncios