ATÉ QUANDO FAREMOS POUCO CASO DA CIÊNCIA?

Há uns meses atrás, fiquei desolada quando li um artigo publicado no jornal FSPaulo, de 16.10.09, Tendências/Debates, como nome de “Um movimento pelas ciências” escrito pelo sociólogo Jorge Werthein, que foi representante da Unesco no Brasil. Nele havia a pergunta: “O que impede países como o Brasil de se sobressaírem, no campo científico, como já se sobressaem nos esportes e nas artes em geral?”. E vai além, afirmando que “O desempenho dos estudantes brasileiros em ciências tem sido medíocre, como o atesta o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês)”.

 http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz1610200909.htm

Segundo uma pesquisa nacional realizada entre 2006 e 2007 (MCT) pasmem: 85% (oitenta e cinco por cento) dos brasileiros desconhecem cientistas e instituições de pesquisas importantes no Brasil!!!!! E, no entanto, continuem pasmados, pois parece que a grande briga nacional é impor aulas de religião nas escolas!! Por que desdenhamos da ciência em favor do sobrenatural? Se ao menos brigássemos pelas duas matérias: ciência e religião seria compreensível. Mas, brigar só pelas aulas de religião para mim é muito, muito triste!

Ainda no jornal FSP de domingo passado, dia 24/01/2010, no caderno Ciência, há uma interessante entrevista de uma cientista geóloga estadunidense, de nome Lisa Grant, que trabalha na Universidade da Califórnia e é especialista em terremotos. Ela afirma que a sociedade não está sabendo aproveitar o conhecimento acumulado por tantos estudos já produzidos.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ciencia/fe2401201001.htm

Nas palavras dessa cientista “As pessoas não gostam de pensar nisso, porque é assustador. Acham que, se não pensarem, não vai acontecer. Então não se preparam, nem sequer estocam água em casa”. Ela diz que na casa dela há sempre 200 litros, aproximadamente, de água estocada. E que já falou mil vezes para as amigas fazerem o mesmo pensando num eventual terremoto, mas elas não estão nem aí. Aliás, admite que é conhecida como “sra.apocalipse” até entre seus próprios familiares.

Ontem, 25 de janeiro, quando vi a notícia de que uma adolescente de 14 anos, Guerlane Guay, foi resgatada com vida dos escombros em Porto Príncipe, no Haiti pós-terremoto, e que declarou ter ficado todo esse tempo – 13 dias – sem comer, mas que havia 5 galões de água potável para ela beber, lembrei-me imediatamente da Prof. Lisa. Quanta sabedoria!

Por favor, mais ciência e menos reza, senão acabaremos todos muito mal. E nunca se esqueçam de estocar água em casa, tá legal?

Inês do Amaral Büschel, 26 de janeiro de 2010.

Anúncios